Qualificação de detectores de fugas

A nova legislação europeia

Em 2002, com a aprovação formal do Protocolo de Quioto pela Comunidade Europeia, estabeleceu-se a meta de reduzir em 8% as emissões de gases com efeito de estufa, incluindo em grande parte os gases fluorados como o R-134a. Esta meta deu origem ao regulamento europeu nº 842/2006 que descreve o objectivo de reduzir a libertação desses gases através de uma política em matéria de confinamento, utilização, etiquetagem, recuperação e de sua eliminação.

Pasted Graphic 1

Nos termos do regulamento, a aplicação desta política passa pelo controlo periódico, por pessoal certificado, da estanquidade de todos os equipamentos que contenham mais de 3 kg de fluido. Estabelece também que a frequência destas inspecções sejam dependentes da carga de gás - 1 ano, 6 ou 3 meses. Para as grandes instalações (>3000kg) deve existir equipamento de detecção em permanência.

O regulamento 1516/2007 estabeleceu os requisitos de sensibilidade para os detectores de fugas de fluidos refrigerantes halogenados. Determina que deverão ter limite de detecção de 5 g/ano e que deverão ser verificados de 12 em 12 meses.

É neste contexto que o METROVAC disponibiliza o serviço de qualificação de detectores de fugas de acordo com a EN 14624. Não se trata de propriamente de uma calibração ou de uma simples verificação. mas de um ensaio completo ou verificação de conformidade. Resumidamente, a norma determina que os detectores sejam montados num suporte móvel que se desloca perpendicularmente ao orifício de uma fuga de referência calibrada. A deslocação deverá ser pelo menos de 20 cm a mais para cada lado da fuga. A sonda deverá se deslocar a uma velocidade de 2 mm/s em frente à fuga de referência que deverá ser colocada a uma distância de 2 mm, no ponto de maior aproximação. Este processo deverá ser repetido 10 vezes e o detector deverá ser capaz de assinalar a fuga todas as vezes.

Pasted Graphic 6